Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/8054
Título: Aleitamento materno em lactentes: duração e fatores associados
Autor(es): Gondim Ozias Aquino de Oliveira, Mirella
Palavras-chave: Aleitamento materno;Desmame precoce;Fatores associados;Baixa renda;Lactentes
Data do documento: 31-Jan-2010
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: Gondim Ozias Aquino de Oliveira, Mirella; de Carvalho Lima, Marilia. Aleitamento materno em lactentes: duração e fatores associados. 2010. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Nutrição, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2010.
Resumo: Esta dissertação de mestrado é apresentada sob a forma de um capítulo de revisão da literatura e um artigo original. O capítulo de revisão aborda a importância do aleitamento materno para a saúde da criança e da mãe, assim como a prevalência da amamentação nas últimas décadas e os fatores determinantes do desmame precoce. O artigo original foi um estudo observacional do tipo corte transversal com componente analítico. Este estudo é parte de uma pesquisa realizada nos municípios de Gameleira da Zona da Mata Sul do estado de Pernambuco e de São João do Tigre na Zona Semi-Árida do estado da Paraíba, escolhidos devido aos seus baixos índices de desenvolvimento humano. Teve como objetivo determinar a duração do aleitamento materno e seus fatores determinantes, em crianças menores de dois anos de idade, residentes em conglomerados urbanos e rurais. Obteve-se uma amostra composta por 504 crianças (280 residentes em Gameleira e 224 em São João do Tigre). Foi analisada a duração mediana do aleitamento materno exclusivo (AME), aleitamento exclusivo/predominante (AMEP) e aleitamento materno (AM) de acordo com a técnica da análise de sobrevivência. Para a análise dos fatores associados utilizou-se como desfecho o aleitamento exclusivo/predominante. A duração mediana do AME foi de apenas 19 dias em Gameleira e 23 dias em São João do Tigre. As durações do AMEP e do AM foram de, respectivamente, 79 e 179 dias em Gameleira e 91 e 169 dias em São João do Tigre. As variáveis que apresentaram associação positiva e estatisticamente significante com o AMEP, em Gameleira, foram: residir em habitações com presença de abastecimento de água pela rede geral e sistema de coleta de lixo pelo serviço público, presença de fogão, realização do pré-natal, orientação sobre alimentação e aleitamento materno no pré-natal e crianças do sexo feminino. Em São João do Tigre, as mães com maior nível de escolaridade, que iniciaram o pré-natal no primeiro trimestre gestacional, que realizaram seis ou mais consultas no pré-natal e que residiam em locais que possuíam fossa com tampa como sistema de esgotamento sanitário, apresentaram uma maior duração do AMEP. Observaram-se baixos índices de aleitamento materno em ambos os municípios, o que, juntamente com suas precárias condições socioeconômicas, pode ser um fator promotor para elevação da morbimortalidade infantil nestas regiões. Assim, espera-se que esse resultado sirva de alerta para a necessidade de se implantar estratégias que contemplem o apoio e incentivo ao aleitamento materno nestas regiões, considerando os fatores que influenciam o aleitamento materno na operacionalização de tais ações
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/8054
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Nutrição

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
MGOAO.pdf2,7 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.