Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/7532
Title: O Comportamento Do /E/ E Do /O/ Pretonicos: Um Estudo Variacionista Da Lingua Falada Culta Do Recife
Authors: Da Silveira Amorim, Gustavo
Keywords: Vogais Pretônicas; Língua Portuguesa; Fonética/Fonologia
Issue Date: 31-Jan-2009
Publisher: Universidade Federal de Pernambuco
Citation: Da Silveira Amorim, Gustavo; Virginia Telles de Araújo Pereira Lima, Stella. O Comportamento Do /E/ E Do /O/ Pretonicos: Um Estudo Variacionista Da Lingua Falada Culta Do Recife. 2009. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Letras, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2009.
Abstract: Esta dissertação faz uma análise da língua falada culta do Recife PE. É de seu interesse verificar o comportamento das vogais médias pretônicas /e/ e /o/ que podem ser pronunciadas, nesta localidade, de três formas: E : e : i / O: o : u. O corpus foi formado pela fala culta de doze informantes aleatoriamente selecionados de acordo com a metodologia da sociolinguística quantitativa (ou variacionista) proposta por Labov (1972) e descrita por Tarallo (2004). Tais informantes foram distribuídos igualmente de acordo com o gênero/sexo, faixa etária (até 39 anos e 40 anos ou mais). Os fatores analisados foram distribuídos em extralinguísticos: sexo/gênero e faixa etária, e linguísticos: realização, contexto fonológico precedente, contexto fonológico posterior, extensão do vocábulo, posição quanto à sílaba tônica, tipo da vogal tônica, vogal pretônica seguinte, atonicidade, tipo de sílaba, natureza do vocábulo, corpus e estrutura da sílaba. O corpus, composto por 6.360 dados, foi submetido ao tratamento estatístico do programa computacional GOLDVARB X de onde foram extraídas as informações para posteriores conclusões. Os resultados confirmaram que os recifenses cultos preferem as vogais médioaltas às demais variantes. Os fatores lingüísticos se mostraram mais motivadores à variação do que os extralingüísticos, mostrando que a língua contem elementos que a auto regulam. Quanto ao método de coleta, a fala e a leitura de palavras foram as que mais contribuíram para a manutenção
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/7532
Appears in Collections:Dissertações de Mestrado - Linguística

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
arquivo3952_1.pdf1.07 MBAdobe PDFView/Open


This item is protected by original copyright



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.