Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/7445
Title: Marcadores sorológicos para os vírus da hepatite B e C em pacientes HIV-positivos atendidos no Hospital Universitário Oswaldo Cruz
Authors: Soares Sampaio, Aletheia
Keywords: HBV; HIV; HCV; Hepatite; Co-infecção; Marcadores sorológicos; HIV/ HBV; HIV/ HCV
Issue Date: 2005
Publisher: Universidade Federal de Pernambuco
Citation: Soares Sampaio, Aletheia; Cláudio Arraes de Alencar, Luiz. Marcadores sorológicos para os vírus da hepatite B e C em pacientes HIV-positivos atendidos no Hospital Universitário Oswaldo Cruz. 2005. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Medicina Tropical, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2005.
Abstract: A ocorrência de co-infecção pelo HIV e hepatites B e C tem sido relatada desde a era- HAART (do inglês Highly Active Antinetrovial Therapy), quando a mortalidade nas pessoas infectadas pelo HIV começou diminuir. Como conseqüência do fato de terem as mesmas rotas de transmissão, a co-infecção do HBV ou HCV em pessoas infectadas pelo HIV tem aumentado e tornou-se um problema de saúde pública. No Brasil, a prevalência média da coinfecção HIV e hepatites, encontrada pelo Ministério da Saúde é em torno de 40%, com a maioria em grupos de usuários de drogas. Freqüências variáveis de co-infecção têm sido relatadas, dependendo da população e da região estudada. O objetivo principal deste estudo foi identificar a freqüência de marcadores sorológicos para hepatite B e C em pacientes infectados pelo HIV, acompanhados em um hospital escola e os possíveis fatores associados à presença de tais marcadores. Quatrocentos e vinte e nove pacientes foram estudados, de ambos os sexos e com idade variando entre 18 a 77 anos. Os participantes respondiam um questionário específico, com características sócio-demográficas e tinham uma amostra de sangue testada para os marcadores HBsAg, Anti-HBc total e Anti-HCV, utilizando a técnica MEIA-Axym-Abbott. A freqüência encontrada de marcadores foi 10,3% para o HBsAg, 38,7% para o Anti-HBc total e 10,7% para o Anti-HCV. Dentre os pacientes, 1,4% possuíam tanto HBsAg quanto Anti-HCV positivos. Não houve associação significante estatisticamente entre as variáveis parceiro homossexual, uso de drogas endovenosas, ingesta de álcool, tatuagem ou piercing, cirurgia, procedimentos invasivos e hemotransfusão e a infecção pelo HBV, expressa pela positividade do HBsAg. A única variável que mostrou associação com infecção pelo HBV foi uso de drogas inalatórias. Nenhuma destas variáveis, incluindo, parceiro homossexual, uso de drogas endovenosas, uso de drogas inalatórias, ingesta de álcool, tatuagem ou piercing, cirurgia, procedimentos invasivos e hemotransfusão tiveram associação significativa estatisticamente com a presença do Anti-HCV. Este estudo encontrou freqüências comparáveis com outros relatados no Brasil, mas com freqüências de coinfeccção menores que aqueles das regiões Sul e Sudeste. Entretanto, nenhuma associação específica com comportamentos de risco foi encontrada neste estudo, mostrando importante diferença quando comparado com estudos realizados em outras regiões do Brasil
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/7445
Appears in Collections:Dissertações de Mestrado - Medicina Tropical

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
arquivo8105_1.pdf1.84 MBAdobe PDFView/Open


This item is protected by original copyright



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.