Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/6998
Título: Ressignificações linguístico-pragmáticas na literatura de formação profissional sobre teoria organizacional: indexando fragilidades
Autor(es): MOURA, Guilherme Lima
Palavras-chave: Ensino de Graduação em Administração; Linguagem em Teorias Administrativas; Manuais Didáticos de Administração; Metáforas no Ensino de Administração; Construção de Conceitos Administrativos
Data do documento: 31-Jan-2009
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: Lima Moura, Guilherme; Carlos dos Santos Xavier, Antonio. Ressignificações linguístico-pragmáticas na literatura de formação profissional sobre teoria organizacional: indexando fragilidades. 2009. Tese (Doutorado). Programa de Pós-Graduação em Letras, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2009.
Resumo: Esta tese de doutorado analisa fragilidades conceituais presentes nos manuais de Teorias Administrativas (TA), usados como referência primária nas construções dos significados básicos da Administração, junto aos alunos dos cursos de graduação das maiores e mais importantes Instituições de Ensino Superior brasileiras. Seu interesse analítico essencial são os problemas oriundos do uso (e abuso) de metáforas no discurso científico como apresentado em tais manuais. Sua perspectiva teórica, contrapondo-se a uma concepção de significado na qual o discurso científico seria o espaço de uma literalidade plena, apoia-se em concepções semântico-pragmáticas no campo da Linguística e da Filosofia da Linguagem, para reconhecer a presença inevitável e não necessariamente danosa das metáforas no discurso científico. A partir daí, ela desenvolve uma discussão teórica sobre metáforas, entendendo-a como um fenômeno linguístico-cognitivo de natureza semântico-pragmática, e dessa forma chega à provocativa pergunta: haveria falhado a metáfora? . Ao analisar os manuais de TA, confirma a hipótese de que a literatura de formação profissional em Administração, usada na educação dos futuros administradores por todo o país, é marcada por uma série de fragilidades conceituais básicas que, ao simplicizarem a complexidade dos fenômenos organizacionais, resultam em um empobrecimento conceitual pelo uso (ou abuso) metafórico. Indo além das metáforas, caracteriza tais fragilidades também em enunciados literais, no emprego recorrente de eufemismos e numa tendência às hipergeneralizações conceituais. E conclui que os manuais de TA, pretendendo facilitar o entendimento dos conceitos, bem como tornar a leitura acessível e agradável, abrem mão da complexidade e da riqueza explicativa dos conceitos originalmente elaborados em pesquisas científicas no próprio campo da Administração, e terminam por traduzir-se no que aqui estamos chamando de uma Pop Science
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/6998
Aparece na(s) coleção(ções):Teses de Doutorado - Linguística

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
arquivo1729_1.pdf2,31 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.