Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/5888
Title: Aspectos sanitários de um sistema de irrigação, em escala piloto, utilizando esgoto doméstico tratado
Authors: Floriano de Sousa Cartaxo, Mauro
Keywords: Esgoto doméstico; Sistema de irrigação
Issue Date: 2003
Publisher: Universidade Federal de Pernambuco
Citation: Floriano de Sousa Cartaxo, Mauro; Takayuki Kato, Mario. Aspectos sanitários de um sistema de irrigação, em escala piloto, utilizando esgoto doméstico tratado. 2003. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2003.
Abstract: A quantidade de água doce existente no planeta, própria para o consumo humano, vem diminuindo a cada dia, devido ao aumento da demanda e em face da poluição ambiental. Essa tendência à exaustão dos mananciais se reveste de particular importância nas regiões semi-áridas do Brasil, onde o homem precisa conviver com a escassez de recursos hídricos e as adversidades climáticas, caracterizadas por longos períodos de estiagem. Tal realidade sugere que se agregue valor ao esgoto sanitário, através de tratamento adequado, transformando-o em insumo utilizável na fertirrigação ou em outras atividades produtivas, ao invés de considerá-lo como despejo. Este trabalho, elaborado com esse enfoque, foi desenvolvido utilizando o efluente de um sistema de tratamento composto por um reator UASB e uma lagoa de polimento, na busca dos seguintes objetivos: 1º- avaliar a adequabilidade do efluente da lagoa, ao reúso controlado, na agricultura irrigada; 2º- avaliar, em função de três formas diferentes de irrigação, o potencial poluidor do líquido percolado no solo, após irrigar uma área de 640 m2, semeada com milho e acerola. O caso estudado foi abordado quanto aos aspectos sanitários, com ênfase na saúde pública, que talvez sejam os que mais provocam polêmicas, quando o tema em discussão é a utilização de esgoto na irrigação. A pesquisa experimental, que durou nove meses (3/12/2001 a 27/08/2002), demandou a realização de análises químicas e exames físicos, bacteriológicos e parasitológicos, bem como a identificação de metais pesados. Os resultados obtidos revelaram: o uso do efluente estudado é próprio para irrigar soja, abacaxi, acerola, mamoeiro, arroz, cana-de-açúcar, girassol, mamona, milho, alfafa, capim Buffel, capim Mimoso, etc. Todavia, é restritivo para irrigar culturas sensíveis a sais e pode prejudicar os solos que apresentam baixa drenagem interna, em função da elevada condutividade elétrica e da presença de sódio, no esgoto sanitário; o efluente sob análise é inadequado, sanitariamente, para irrigar culturas a serem ingeridas cruas (hortaliças e outras), campos de esportes e parques públicos; o percolado é capaz de impor riscos sanitários, evidenciados pela presença dos indicadores de contaminação bacteriana. Adicionalmente, verificou-se que o reúso indireto de água é uma realidade na horticultura brasileira, apesar dos problemas ambientais e de saúde, que pode estar causando. Este fato não deve ser desconsiderado e precisa ser enfrentado, através de soluções tecnicamente adequadas, submetidas a uma legislação específica, ainda não existente no país, de forma que o reaproveitamento das águas residuárias, permita a liberação dos corpos de água, para usos mais exigentes e contribua para a preservação do meio ambiente. Assim, a irrigação com esgoto doméstico tratado, feita de forma controlada, representa uma alternativa de reúso sanitariamente segura e ambientalmente sustentável. Agrega qualidade de vida para a população e pode se tornar economicamente viável, pois também gera riquezas
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/5888
Appears in Collections:Dissertações de Mestrado - Engenharia Civil

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
arquivo7208_1.pdf448.68 kBAdobe PDFView/Open


This item is protected by original copyright



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.