Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/4870
Title: Por uma medicina que eduque, por uma pedagogia que cure: as contribuições de Rudolf Steiner à integralidade na educação médica
Authors: David Wenceslau, Leandro
Keywords: Educação médica; Ética médica; Antroposofia; Integralidade; Rudolf Steiner
Issue Date: 31-Jan-2011
Publisher: Universidade Federal de Pernambuco
Citation: David Wenceslau, Leandro; Rohr, Ferdinand. Por uma medicina que eduque, por uma pedagogia que cure: as contribuições de Rudolf Steiner à integralidade na educação médica. 2011. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2011.
Abstract: Objetiva-se, neste estudo, apontar possíveis contribuições da obra de Rudolf Steiner à integralidade na formação médica. A integralidade, como princípio do Sistema Único de Saúde, tem se apresentado como um importante eixo orientador de propostas de mudança na educação médica no Brasil. De difícil definição, tem-se optado por tomá-la como imagem objetivo , que remete a teorias e práticas que almejam superar um reducionismo biomédico na saúde, pautando na formação a inclusão e articulação de dimensões do humano como o psicológico, social, cultural e espiritual. Tomou-se como hipótese da presente pesquisa a possibilidade de racionalidades médicas alternativas e complementares contribuírem para a elaboração de orientações pedagógicas que visem superar os limites do reducionismo biomédico. Realizou-se um estudo de caso com a racionalidade médica medicina antroposófica. Rudolf Steiner foi fundador da antroposofia, uma abordagem da natureza e do ser humano, que reúne um método próprio de conhecimento amplamente inspirado nas obras científicas do poeta alemão Johann Wolfgang von Goethe. Nesta pesquisa, foi desenvolvido um estudo hermenêutico da obras de Steiner voltadas para a medicina, em conjunto com suas principais obras filosóficas. Foi elaborada uma síntese de suas críticas e indicações à medicina e à formação médica de seu tempo, tendo sido identificadas quatro proposições principais: uma crítica ao modelo de ciência materialista que pode ser ampliada a partir dos princípios da antroposofia e de uma fenomenologia de base goetheana; uma aplicação destes princípios fenomenológicos à compreensão do processo saúde-adoecimento; uma aplicação destes princípios à pesquisa de novos tratamentos; a proposta de um desenvolvimento moral indissociável do desenvolvimento técnico e científico. Em seguida, desenvolveu-se uma análise de como as posições de Steiner podem dialogar com desafios contemporâneos de um ensino médico pautado pela integralidade. Desta análise, apontaram-se oito contribuições: a problematização do papel do conhecimento científico hegemônico na formação médica; o desenvolvimento de novas formas de se fazer ciência em medicina; a integração de conhecimentos não-científicos à formação; o ensino fenomenológico de ciências biomédicas; a análise crítica das abordagens terapêuticas convencionais; a contribuição de outras racionalidades médicas à terapêutica; a integração entre formação científica e formação moral; o debate em torno de horizontes morais para a formação médica. A obra de Steiner, quando tomamos a educação médica também como processo de formação humana, apresentou-se como uma referência para o debate e o encontro de alternativas para difíceis questões deste campo, em especial, para as relações entre os seus fundamentos epistemológicos, éticos e morais
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/4870
Appears in Collections:Dissertações de Mestrado - Educação

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
arquivo8496_1.pdf1.4 MBAdobe PDFView/Open


This item is protected by original copyright



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.