Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/3755
Title: Análise do Universo imaginário de Professores de Matemática: Entre Luzes e Sombras
Authors: Peixoto de Oliveira, Gleide
Keywords: Imaginário;Educação;Teste Arquetípico de Nove Elementos
Issue Date: 2007
Publisher: Universidade Federal de Pernambuco
Citation: Peixoto de Oliveira, Gleide; de Souza Leão Maia, Lícia. Análise do Universo imaginário de Professores de Matemática: Entre Luzes e Sombras. 2007. Tese (Doutorado). Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2007.
Abstract: Esta tese apresenta o resultado de uma pesquisa sobre o mapeamento e análise da estrutura do imaginário de professores de matemática da rede pública da cidade do Recife, relacionando os pressupostos matemáticos às estruturas míticas dos professores que com ela trabalham. Entendendo o imaginário como um lugar de entre-saberes instituído a partir da angústia existencial do homem frente à passagem do tempo e do seu destino mortal, como ele se atualizaria nas práticas pedagógicas dos professores de matemática, portadores de uma linguagem regida por antíteses conceituais, e por um discurso lógico e irretorquível? O presente trabalho teve como objetivo geral analisar o papel do imaginário na compreensão dos fenômenos educativos assumindo uma perspectiva que trate da inter-relação entre razão e imaginação entendendo-as como instâncias complementares e não cindidas. O marco teóricometodológico que fundamentou esta pesquisa foi a Teoria Geral do Imaginário de Gilbert Durand aliado à aplicação do Teste Arquetípico de Nove Elementos (AT-9), entrevistas semiestruturadas e histórias de vida. Participaram deste estudo 20 professores de matemática e 20 professores de disciplinas diversas. O resultado da análise do AT-9 associado à análise das entrevistas e das histórias de vida permitiu delinear o perfil do imaginário dos professores investigados, relacionando-os aos fenômenos educativos presentes no cotidiano da escola. Os microuniversos míticos destes professores, revelados através do AT-9 se distribuíram entre as três estruturas do imaginário, heróica, mística e sintética. Não houve predominância da estrutura heróica entre os professores de matemática, como foi inicialmente suposto, em virtude desta estrutura ser regida por antíteses conceituais, portanto, mais similares com a precisão lógica do raciocínio matemático. Os elementos projetados nos protocolos destes professores estão a serviço das forças de vida, representando funções utilitárias para o personagem, ora auxiliando-o no combate ao monstro, ora como adjuvantes para defesa dos perigos por ele representados. O imaginário deste grupo apresenta-se predominantemente estruturado por símbolos de vida, os quais se projetam nas representações do AT-9 e se revelam igualmente em uma rede simbólica positiva que ancora seus discursos sobre o ser professor e sobre a função de educar. Estes professores, atentos às mazelas sociais que se fazem presentes na escola, não foram contaminados pelo cinismo ou pela resignação frente a uma realidade perversa descrita por eles. Acima de tudo, revelaram ser portadores e portavozes de um imaginário ancorado em raízes profundas que mantêm o sonho e a crença nas possibilidades de contribuir para transformar e reinventar a educação e a sociedade
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/3755
Appears in Collections:Teses de Doutorado - Educação

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
arquivo224_1.pdf2.45 MBAdobe PDFView/Open


This item is protected by original copyright



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.