Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/3722
Title: Praxeologia do professor e do aluno: uma análise das diferenças no ensino de equações do segundo grau
Authors: MENEZES, Marcus Bessa de
Keywords: Álgebra;Equações de 2º grau;Teoria Antropológica do Didático;Praxeologia
Issue Date: 31-Jan-2010
Publisher: Universidade Federal de Pernambuco
Citation: Bessa de Menezes, Marcus; Câmara dos Santos, Marcelo. Praxeologia do professor e do aluno: uma análise das diferenças no ensino de equações do segundo grau. 2010. Tese (Doutorado). Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2010.
Abstract: Esta tese se propôs a refletir sobre as semelhanças e diferenças nas práticas de professores e de alunos, no trabalho com equações de segundo grau. Para isso, caracterizamos, analisamos e comparamos as praxeologias do professor e de seus alunos. Realizamos este estudo sob a ótica da Teoria Antropológica do Didático (TAD), proposta por Yves Chevallard (1999). A TAD situa a atividade matemática e, em conseqüência, a atividade de estudo em matemática, no conjunto de atividades humanas e das instituições sociais. É a partir da noção de praxeologia que a TAD identifica essa atividade matemática. Essa teoria nos permite explicar o funcionamento das transformações realizadas nos saberes nas instituições de ensino. Nesse sentido, a teoria seria uma ampliação do campo de análise decorrente da Transposição Didática, na medida em que permite analisar as transformações que são feitas nos objetos de saberes a ensinar no interior da sala de aula, ou de outra determinada instituição. Os resultados de nossas análises apontam, inicialmente, que a relação do aluno com o objeto de saber equações de segundo grau faz com que ele reorganize, de modo particular, o conhecimento construído em sala de aula. Identificamos que ele usa técnicas e/ou subtécnicas diferentes das utilizadas pelo professor na resolução das equações de segundo grau. Outra questão que permeou nosso trabalho gira em torno das intencionalidades do aluno perante o saber em jogo. Diante das relações de conformidade com a instituição escolar, essas intencionalidades podem fazer com que o aluno adote, também, técnicas e/ou subtécnicas diferentes das apresentadas pelo professor durante as aulas
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/3722
Appears in Collections:Teses de Doutorado - Educação

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
arquivo196_1.pdf4.17 MBAdobe PDFView/Open


This item is protected by original copyright



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.