Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/3482
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.contributor.advisorLuiz Portugal, José pt_BR
dc.contributor.authorde Almeida Silveira, Thyagopt_BR
dc.date.accessioned2014-06-12T16:31:23Z-
dc.date.available2014-06-12T16:31:23Z-
dc.date.issued2010-01-31pt_BR
dc.identifier.citationde Almeida Silveira, Thyago; Luiz Portugal, José. Modelos de interpoladores aplicados à construção de superfícies batimétrica. 2010. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Ciências Geodésicas e Tecnologia da Geoinformação, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2010.pt_BR
dc.identifier.urihttps://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/3482-
dc.description.abstractNas ultimas décadas as Tecnologias da Geoinformação, e mais precisamente os Sistemas de Informações Geográficas (SIG) tem sido incorporados no gerenciamento de zonas costeiras e oceânicas. As amostras pontuais, resultantes dos levantamentos batimétricos, representam a profundidade do relevo submerso. A partir delas, por processos de interpolação, a morfologia daquele relevo pode ser obtida. Face às inúmeras possibilidades de modelos de interpoladores, torna-se difícil escolher qual interpolador irá gerar a superfície que mais se aproxime da superfície real. Uma solução passível para esse problema é a baseada em geoestatística. Nesse sentido, esta pesquisa teve por objetivo estabelecer qual interpolador reproduz mais fidedignamente a morfologia da plataforma continental interna, adjacente da Região Metropolitana de Recife, que passa por uma série de estudos para contenção da erosão marinha, sobre custodia do Projeto de Monitoramento Ambiental Integrado - MAI. Para tanto, a metodologia empregada foi dividida em quatro etapas: i) aquisição e análise exploratória dos dados; ii) implementação dos interpoladores Inverso da Distância Ponderada, Polinomial Local, Funções de Base Radial, Polinomial Global e Krigagem; iii) análise estatística dos resultados; e vi) criação da superfície tridimensional. Os resultados obtidos indicaram que não existem diferenças significativas entre o Polinomial Local, Funções de Base Radial e Krigagem. Portanto, qualquer um desses três métodos pode ser recomendado. Entretanto, por ser o único interpolador capaz de espacialisar a distribuição dos erros sobre uma superfície, opta-se por selecionar a Krigagem como o interpolador mais indicado para a representação tridimensional da área em estudo. Dessa forma, os resultados comprovam que a metodologia proposta conseguiu alcançar seu objetivo, explicitando que ao interpolar dados advindos de levantamentos batimétricos, é necessário analisar o comportamento do conjunto de amostras de entrada, com base em análises estatísticas espaciais, de forma a assegurar a veracidade de sua representação em uma superfície tridimensionalpt_BR
dc.description.sponsorshipCoordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superiorpt_BR
dc.language.isopt_BRpt_BR
dc.publisherUniversidade Federal de Pernambucopt_BR
dc.subjectSistemas de informação geográficapt_BR
dc.subjectLevantamentos batimétricospt_BR
dc.subjectModelos de interpoladorespt_BR
dc.subjectAnálises geoestatísticaspt_BR
dc.titleModelos de interpoladores aplicados à construção de superfícies batimétricapt_BR
dc.typeDissertacaopt_BR
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Ciências Geodésicas e Tecnologias da Geoinformação

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
arquivo528_1.pdf2,53 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.