Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/2937
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.contributor.advisorMaria Villarouco Santos, Vilma pt_BR
dc.contributor.authorKatharina de Figueirêdo Leite, Anapt_BR
dc.date.accessioned2014-06-12T16:25:14Z-
dc.date.available2014-06-12T16:25:14Z-
dc.date.issued2010-01-31pt_BR
dc.identifier.citationKatharina de Figueirêdo Leite, Ana; Maria Villarouco Santos, Vilma. Avaliação do ambiente construído de instituições de longa permanência para idosos. 2010. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Design, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2010.pt_BR
dc.identifier.urihttps://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/2937-
dc.description.abstractA proporção de idosos na sociedade brasileira é crescente, e a busca pela qualidade de vida dessa população tem gerado preocupações com questões como as relacionadas à moradia. O novo arranjo familiar com menor suporte aos idosos e a falta de infraestrutura que atenda às alterações biológicas do envelhecimento são aspectos que determinam a procura cada vez maior por instituições de moradia coletivas, as ILPI s (Instituições de Longa Permanência para Idosos). O objetivo desse estudo é avaliar o ambiente construído de ILPI s privadas do Recife, sob a ótica da Ergonomia. Para tanto, empregou-se a Metodologia Ergonômica para o Ambiente Construído (MEAC) em duas instituições particulares da cidade do Recife. Por meio desse trabalho constatou-se que a relação dos usuários (residentes e funcionários) com o ambiente construído é determinada pelo nível de capacidade funcional e pelas oportunidades de envolvimento nas atividades da rotina das instituições. Os funcionários têm mais oportunidades de interação com o ambiente, mas a relação menos ativa ou inexistente dos idosos não impede que o ambiente construído repercuta na qualidade de vida dos residentes. Os atributos mais relevantes para as edificações de ILPI s são os de instalações (acessibilidade, revestimentos, dimensões e funções condizentes com o perfil dos usuários e as tarefas realizadas nos espaços). Aspectos organizacionais e de conforto ambiental também mostraram-se relevantes. Ao analisar os parâmetros estabelecidos pelas normas vigentes, as percepções dos usuários e as observações realizadas, as edificações das ILPI s pesquisadas não atendem às necessidades dos usuários, em especial dos idosos dependentes e/ou com disfunção sensorial e cognitiva, não apresentando um contínuo de apoio às dificuldades que podem surgir no envelhecimento. A inadequação das ILPI s particulares é fato independente da mensalidade (em especial, no que diz respeito a infraestrutura) e estende-se a todos os atributos citados como importantes a esse tipo de serviço, o que revela ambientes ergonomicamente inadequados e sem condições satisfatórias de habilitabilidade e consequentemente de qualidade de vida do idosospt_BR
dc.description.sponsorshipConselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológicopt_BR
dc.language.isoporpt_BR
dc.publisherUniversidade Federal de Pernambucopt_BR
dc.subjectInstituição de Longa Permanência para Idosospt_BR
dc.subjectErgonomia do Ambiente Construídopt_BR
dc.subjectErgonomiapt_BR
dc.subjectidosopt_BR
dc.titleAvaliação do ambiente construído de instituições de longa permanência para idosospt_BR
dc.typemasterThesispt_BR
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Design

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
arquivo12_1.pdf2,85 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.