Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/2692
Título: Problemas em Iniciativas de Melhoria de Processos de Software sob a Ótica de uma Teoria de Intervenção
Autor(es): Felipe Lemos Santana, André
Palavras-chave: Melhoria de processos de software (MPS); Fatores críticos em MPS; Teoria de intervenção; Teorias de ação; Aprendizagem organizacional
Data do documento: 2007
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: Felipe Lemos Santana, André; Perrelli de Moura, Hermano. Problemas em Iniciativas de Melhoria de Processos de Software sob a Ótica de uma Teoria de Intervenção. 2007. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Ciência da Computação, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2007.
Resumo: Iniciativas de melhoria de processos de software (MPS) têm tido uma importância cada vez maior na indústria de software como fator de evolução da qualidade de seus produtos e de combate à alta taxa de insucesso em projetos desta indústria. Pesquisas mostram que as iniciativas de MPS, por sua vez, também têm uma alta taxa de insucesso. Mostram também, que vários dos principais fatores críticos em MPS não são questões técnicas de engenharia de software e sim questões humanas, sociais e organizacionais, relativas à condução das iniciativas de melhoria, e à interação entre seus participantes. Esta dissertação mostra que iniciativas de MPS podem ser vistas como uma intervenção na organização que produz software. A teoria de intervenção e conceitos complementares de teorias de ação e de aprendizagem organizacional do cientista social Chris Argyris e seus colaboradores são usados nesta dissertação para reinterpretar e compreender mais profundamente os problemas sócio-técnicos de iniciativas de MPS. São particularmente apontados como problemas que permeiam iniciativas de MPS: a incongruência das normas internalizadas da organização com os objetivos da intervenção de MPS; a dificuldade dos atores em lidar produtivamente com situações conflitivas; a incongruência da teoria em uso dos atores para com as atividades primárias de intervenção preconizadas por Argyris; e finalmente, as limitações da abordagem predominantemente técnica na condução da intervenção de MPS. A mesma abordagem teórica é utilizada como base para prescrição de estratégias de ação de como tratar os problemas levantados. A interpretação dos problemas tomou por base uma pesquisa de campo sobre fatores críticos (facilitadores e barreiras) em iniciativas de MPS. A pesquisa foi realizada com entrevistas a profissionais desempenhando vários papéis (engenheiros da qualidade, consultores externos, diretor, gerentes de projetos e engenheiros de software) e que estiveram envolvidos em iniciativas de MPS em suas empresas. Esta dissertação contribui, assim, para preencher uma lacuna comumente encontrada na condução de iniciativas MPS, que usam modelos normativos tais como CMMI e MPS.Br, quanto ao entendimento e tratamento dos fenômenos humanos e sociais inerentes a este tipo de iniciativa
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/2692
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Ciência da Computação

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
arquivo6369_1.pdf1,55 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.