Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/2342
Título: Implantando processos de gerenciamento ágil
Autor(es): Maria da Silva, Stelita
Palavras-chave: gestão informal;gerenciamento ágil;desenvolvimento de equipe;cultura organizacional;projetos de hardware
Data do documento: 31-Jan-2010
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: Maria da Silva, Stelita; Eusébio de Lima, Manoel. Implantando processos de gerenciamento ágil. 2010. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Ciência da Computação, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2010.
Resumo: Tem-se verificado uma grande mobilização na indústria de microeletrônica na busca por produtividade e qualidade. Esta busca passa pela definição de processos de desenvolvimento de ip-cores (Intelectual Property) chegando a frameworks para simulação de plataformas em alto nível. Comparando o desenvolvimento de hardware ao de software, em alguns casos, pode-se dizer que se trata de um projeto de software, escrito em linguagem de descrição de hardware. Assim, compreende-se que os projetos de desenvolvimento de hardware, ao mesmo tempo em que se tornam complexos, assemelham-se aos projetos de software podendo assimilar técnicas da engenharia de software para seu desenvolvimento. No entanto, além da linguagem, outro fator divergente entre o desenvolvimento de hardware e o de software é o grau de especialização de sua equipe. Deste modo, em sua maioria, os desenvolvedores de hardware possuem conhecimento proeminente em engenharia elétrica, e se vêem programando em linguagens de baixo nível, mas sem treinamento em engenharia de software. O perfil deste profissional apresenta, ainda, uma aversão à adoção de processos opressivos e burocráticos, como os tradicionais, o que revela a necessidade de um processo simples para o desenvolvimento de sistemas digitais. Neste contexto, percebe-se a aplicabilidade dos chamados processos ágeis ou leves ao desenvolvimento de hardware. Principalmente, aqueles que não interfiram nas práticas técnicas, uma vez que os projetos de sistemas embarcados possuem várias características que os distingue dos projetos de software. Assim, este trabalho propõe PIPA, um conjunto de práticas para a implantação de processos de gerência ágil que se adéqüe a organizações além das que desenvolvem projetos de software, baseado nas experiências de implantação destes processos naquele tipo de organização, e nas características do gerenciamento ágil. Esse conjunto de atividades tem como objetivo minimizar os problemas observados quando da implantação de práticas ágeis nas organizações e equipes de projeto, permitindo que um maior número de grupos possa adotar o gerenciamento ágil sem receio. Um estudo de caso foi aplicado no Centro de Informática, com o grupo de pesquisa em sistemas de alto desempenho, HPCIn, cujos resultados também são apresentados neste trabalho
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/2342
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Ciência da Computação

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
arquivo3127_1.pdf3,61 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.