Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/17923
Title: Comparing integration effort and correctness of Different merge approaches in version control systems
Authors: CAVALCANTI, Guilherme José Carvalho
Keywords: Desenvolvimento colaborativo. Integração de software. Integração semiestruturada. Sistemas de controle de versões. Estudos empíricos;Collaborative development. Software merging. Semistructured merge. Version control systems. Empirical studies
Issue Date: 29-Feb- 16
Publisher: Universidade Federal de Pernambuco
Abstract: Durante a integração de contribuições de código resultantes das tarefas de desenvolvimento, frequentemente desenvolvedores têm que lidar com alterações conflitantes e dedicar considerável esforço para resolver conflitos. Enquanto as ferramentas de integração não-estruturadas tentam resolver automaticamente parte dos conflitos através de similaridade textual, ferramentas semiestruturadas tentam ir mais longe, explorando a estrutura sintática de parte dos artefatos envolvidos. Para entender o impacto das abordagens de integração não-estruturada e semiestruturada sobre esforço de integração (Produtividade) e corretude do processo de integração (Qualidade), nós realizamos dois estudos empíricos. No primeiro, com o objetivo de aumentar o atual corpo de evidência e avaliar resultados para sistemas desenvolvidos usando um paradigma de controle de versão alternativo, nós replicamos um experimento para comparar a abordagem não-estruturada e semiestruturada de acordo com o número de conflitos reportados por ambas as abordagens. Nós usamos tanto a integração semiestruturada quanto a não-estruturada em uma amostra 2,5 vezes maior do que a do estudo original em relação ao número de projetos e 18 vezes maior em relação ao número de integrações realizadas, e comparamos a ocorrência de conflitos. Semelhante ao estudo original, observamos que a integração semiestruturada reduz o número de conflitos em 55% das integrações da nova amostra. Além disso, a redução de conflitos média observada de 62% nestas integrações é muito superior à observada anteriormente. Nós também trazemos nova evidência de que o uso da abordagem semiestruturada pode reduzir a ocorrência de integrações com conflitos pela metade. Com o intuito de verificar a frequência de falsos positivos e falsos negativos originados do uso dessas abordagens, nós seguimos adiante e conduzimos um segundo estudo empírico. Nós comparamos as abordagens reproduzindo mais de 30.000 integrações de 50 projetos, coletando evidência sobre os conflitos reportados que não representam interferências entre as tarefas de desenvolvimento (falsos positivos), e interferências não reportadas como conflitos (falsos negativos). Em particular, a nossa suposição é de que falsos positivos denotam esforço desnecessário de integração porque os desenvolvedores têm que resolver conflitos que, na realidade, não representam interferências. Além disso, falsos negativos denotam problemas de build ou bugs, impactando negativamente a qualidade do software e corretude do processo de integração. Ao analisar esses fatores críticos, esperamos orientar os desenvolvedores em decidir qual abordagem deve ser usada na prática. Finalmente, nossos resultados mostram que a abordagem semiestruturada elimina uma parte significativa dos falsos positivos reportados pela abordagem não-estruturada, mas traz falsos positivos próprios. O número global de falsos positivos é reduzido com a integração semiestruturada, e nós argumentamos que os conflitos associados aos seus falsos positivos são mais fáceis de resolver quando comparados aos falsos positivos reportados pela abordagem não-estruturada. Observamos, também, que mais interferências deixaram de ser detectadas pela abordagem não-estruturada, mas foram detectadas pela semiestruturada. No entanto, nós acreditamos que as interferências não detectadas pela abordagem semiestruturada são mais difíceis de detectar e resolver. Por fim, nosso estudo sugere como uma ferramenta de integração semiestruturada poderia ser melhorada para eliminar os falsos positivos e falsos negativos adicionados que possui em relação à não-estruturada.
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/17923
Appears in Collections:Dissertações de Mestrado - Ciência da Computação

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
dissertação_gjcc.pdf1.88 MBAdobe PDFView/Open


This item is protected by original copyright



This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons