Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/17598
Título: Raízes românticas de uma ciência da literatura: Denis, Romero e o discurso da crítica literária oitocentista brasileira
Autor(es): FERREIRA, Raul Azevedo de Andrade
Palavras-chave: crítica literária brasileira;análise do discurso;Ferdinand Denis;Sílvio Romero;literary criticism;discourse analysis,;Ferdinand Denis;Sílvio Romero
Data do documento: 9-Mar-2016
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Resumo: Este trabalho oferece uma reflexão sobre o discurso produzido pela crítica literária que surge na primeira metade do século XIX e se desenvolve até as últimas décadas dos oitocentos. São considerados como seus marcos históricos duas publicações: o Resumé de l'histoire litteráire du Brèsil, de Ferdinand Denis, publicado em 1826, e a História da literatura Brasileira, de Sílvio Romero, publicada em 1888. Para certa historiografia recente da literatura brasileira, a crítica praticada no final do século XIX, a chamada crítica cientificista, diferiu radicalmente da que foi produzida durante o período romântico. Entre um e outro modelo haveria uma ruptura devida sobretudo à adoção das novas ideias científicas que vinham da Europa. Outras leituras, no entanto, preferiram enfatizar a continuidade da ideologia nacionalista e viram na passagem da crítica romântica para a crítica cientificista mais uma continuidade de ideias do que um rompimento traumático. A partir de uma reflexão sobre a teoria do discurso de linha francesa, a pesquisa que aqui é conduzida investiga as diversas possibilidades de dinâmica discursiva dos enunciados de forma a verificar o funcionamento dos discursos inerentes aos dois modelos de crítica literária. Isto permitiu avaliar a pertinência das leituras que alegam a ruptura e a continuidade e concluir que nenhuma das duas abordagens consegue dar conta da complexidade da questão. Ao invés de mera ruptura ou continuidade, conclui-se que as críticas romântica e cientificista constituem dois momentos distintos de uma mesma formação discursiva sobre a literatura. Elas constituem um discurso que se dinamiza em função das vicissitudes históricas e das transformações políticas atravessadas pela nação.
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/17598
Aparece na(s) coleção(ções):Teses de Doutorado - Teoria da Literatura

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Tese_RaulFerreira_BC.pdf1,73 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons