Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/13387
Título: Leitura e prova Brasil: leitura e avaliação
Autor(es): Silva, Fátima Soares da
Palavras-chave: Compreensão leitora; Prova Brasil; Avaliação em larga escala
Data do documento: 30-Abr-2013
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Resumo: O objetivo dessa pesquisa foi refletir sobre os resultados de cinco turmas de escolas públicas do quinto ano na Prova Brasil, investigando algumas possíveis razões para o sucesso ou não dos estudantes na referida prova. Na primeira fase da pesquisa foi realizada análise documental da Proposta Pedagógica da Prefeitura da Cidade do Recife e do documento de referência da Prova Brasil. Foi possível verificar que os dois documentos partem de pressupostos conceituais similares: têm uma visão sociointeracionista de linguagem e apresentam a ideia de leitura como interação. As competências apresentadas na Proposta Pedagógica da PCR têm correspondências com a maioria das habilidades vistas na matriz da Prova Brasil. Na segunda fase da pesquisa, foi realizado um estudo de campo. Quanto aos resultados da avaliação dos estudantes na Prova Brasil, foram identificadas inconsistências na progressão de habilidades proposta na escala de proficiência do INEP e na articulação entre a interpretação dos resultados e alguns princípios acerca do processo de leitura expostos na apresentação da concepção de leitura explicitada. Foram também aplicados dois testes com os alunos. A comparação entre os resultados na Prova Brasil e nos testes aplicados evidenciou que dos 15 descritores apresentados na matriz da Prova Brasil, em 12 os alunos obtiveram melhor desempenho nos testes elaborados no âmbito desta pesquisa. Os resultados apontaram, portanto, problemas em relação à confiabilidade nos testes principalmente pela impossibilidade de acesso aos itens dos testes. Por fim, foram analisadas aulas de leitura nas escolas selecionadas, buscando investigar as condições de ensino nas quais os alunos estavam inseridos, principalmente quanto às atividades de interpretação escrita de textos, com o objetivo de investigar se as crianças tinham familiaridade com os tipos de itens do exame. Três, dentre as cinco turmas, tiveram maior diversidade de atividades no ensino da leitura. As crianças tiveram experiências em sala de aula que poderiam favorecer a familiaridade com os tipos de questões propostas na Prova Brasil, mas em nenhuma dessas turmas, havia um trabalho sistemático mais aprofundado para o desenvolvimento de tais habilidades e nem diversificação dos tipos de atividades de leitura, considerando-se as diferentes finalidades de leitura presentes na sociedade. Tal ausência pode, portanto, ser uma das causas para as dificuldades de compreensão de textos de muitas crianças evidenciadas nos resultados dos avaliações realizadas. Para concluir, os dados sinalizam para a necessidade de revisão dessa avaliação em larga escala e para a implantação de políticas públicas voltadas para a formação do professor quanto ao eixo da leitura.
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/13387
Aparece na(s) coleção(ções):Teses de Doutorado - Educação

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
TESE Fatima Soares da Silva.pdf2,77 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons