Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/13291
Título: A heterogeneidade no último ano do ciclo de alfabetização e as estratégias docentes para o ensino de produção de textos.
Autor(es): Silveira, Renata da Conceição
Leal, Telma Ferraz
Palavras-chave: Produção de textos; Heterogeneidade; Estratégias docentes
Data do documento: 27-Mar-2013
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Resumo: Esta pesquisa teve por objetivo investigar as estratégias didáticas utilizadas por duas professoras do 3º ano do ensino fundamental para desenvolver o ensino de produção textual em turmas heterogêneas em relação ao domínio do Sistema Alfabético de Escrita. Mais especificamente, buscamos identificar as estratégias didáticas utilizadas no ensino de produção de textos escritos em turmas heterogêneas quanto ao domínio do sistema de escrita; as habilidades / conhecimentos que as docentes enfocam nas aulas em que pretendem ensinar a produção de textos escritos em turmas heterogêneas quanto ao domínio do Sistema de Escrita Alfabética; e as estratégias de mediação adotadas com as crianças não alfabéticas nas aulas de produção de textos escritos. Com base nas perspectivas sociointeracionistas que abordam a língua como um objeto de estudo relacionado com o meio social e que propõem o ensino de produção como uma atividade discursiva, que auxilie o indivíduo a refletir sobre as situações comunicativas, analisamos, por meio de um estudo de caso, as práticas de duas docentes. Os resultados do estudo evidenciaram que ensinar a produzir textos escritos requer uma multiplicidade de aspectos a serem abordados concomitantemente. As professoras observadas demonstraram que para atender a tantos princípios é necessário contemplar a diversificação das atividades e um planejamento que considere a heterogeneidade da sala. No entanto, mesmo diante do empenho docente em dar conta de todos esses aspectos, algumas lacunas ainda foram presenciadas Nas duas turmas as situações de produção de textos eram propostas sem delimitação clara das finalidades e destinatários dos textos. Apesar disso, as professoras promoveram atividades em que houve um ensino reflexivo, que favorecia a emergência da argumentação, com sistematização de saberes relevantes, de modo progressivo. Além de atender a tais princípios, a professora 1 promoveu situações de aprendizagem em que havia um ensino centrado na interação em pares e em grupo, com estímulo à explicitação verbal, valorização dos conhecimentos prévios dos alunos e diversificação de atividades, contribuindo para que as crianças não alfabéticas participassem efetivamente das atividades e aprendessem sobre diferentes dimensões da produção de textos. A professora 2, no entanto, evidenciou muita dificuldade para lidar com a heterogeneidade, de modo que as crianças não alfabéticas estiveram à margem das atividades, mesmo havendo, por parte da docente, uma orientação de que elas fizessem "como soubessem". Foi possível verificar que na turma 1, as crianças não alfabéticas, de fato, participaram ativamente das atividades, com exceção de uma criança, para a qual a docente não conseguia propor modos de mediação em que houvesse engajamento na aula. Pôde-se concluir, portanto, que é possível realizar o ensino de produção de textos em turmas heterogêneas, com diversificação de atividades que contemplem a apropriação de diferentes conhecimentos e desenvolvimento de diferentes habilidades, mas essa é uma tarefa difícil que requer, muitas vezes, um envolvimento de outros segmentos da escola e da Rede de Ensino, que não foi observado neste estudo.
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/13291
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Educação

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Dissertação renata silveira.pdf1,95 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons