Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/12954
Title: Qualidade do Sistema de Informação sobre Mortalidade: a questão das causas externas em Pernambuco
Authors: MELO, Gabriela Bardelini Tavares
Keywords: Mortalidade;Sistemas de informação;Causas externas
Issue Date: 31-Jan-2014
Publisher: Universidade Federal de Pernambuco
Abstract: O Sistema de Informação sobre Mortalidade tem como objetivo garantir informações a respeito da mortalidade. Apesar da existência de dispositivos legais quanto à obrigatoriedade do registro do óbito, falhas relacionadas à cobertura do sistema de informação e ao preenchimento da Declaração de Óbito se mantêm. Em relação aos óbitos por causas externas, a má qualidade das informações mascara sua magnitude e interfere nas ações de intervenção. Este estudo descreve a evolução da qualidade da informação do Sistema de Informação sobre Mortalidade, por Região de Saúde, nos períodos 2000-2002 e 2008-2010 em Pernambuco, com ênfase nas causas externas.Trata-se de um estudo descritivo cuja população é composta pelo total de óbitos registrados no Sistema de Informação sobre Mortalidade em Pernambuco, por local de ocorrência. Os dados foram extraídos do banco de dados do sistema de mortalidade, disponível no endereço eletrônico do Departamento de Informática do SUS e consolidados por Região de Saúde e município sede. Foram calculadas as freqüências relativas do dos óbitos por todas as causas, óbitos por causas mal definidas, óbitos por causas externas e óbitos por causas externas cuja intenção é indeterminada, bem como o coeficiente de mortalidade, a variação percentual e a razão de proporção. Foram ainda analisados o grau de não preenchimento das variáveis da Declaração de Óbito dos óbitos por causas externas. Verifica-se aumento da cobertura do sistema no estado entre os períodos estudados. Houve redução no registro dos óbitos por causas mal definidas e por causas externas. Para todos os óbitos, a ocorrência foi mais frequente no sexo masculino. Quanto aos óbitos por causas externas, observa-se crescimento do registro dos óbitos por acidentes, lesões autoprovocadas, intenção indeterminada e por sequelas. Especificamente, entre os óbitos por causas externas cuja intenção é indeterminada, houve aumento do registro daqueles classificados como “outros”. Em relação à incompletude das variáveis da declaração de óbito por causas externas, constata-se melhor preenchimento daquelas consideradas mais importantes pelos médicos atestantes, como idade, sexo e variáveis obrigatórias. É necessário que os mesmos compreendam a importância da declaração de óbito como parte de um sistema nacional de informações e como instrumento de cidadania. No caso especifico das causas externa em Pernambuco, é fundamental que o Sistema de Informação sobre Mortalidade trabalhe integrado com outros sistemas, como do Instituto de Medicina Legal e Secretaria de Defesa Social, na perspectiva de se ter disponível uma base de dados unificada, capaz de subsidiar gestores no planejamento de políticas públicas no campo da saúde e prevenção a acidentes e violências.
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/12954
Appears in Collections:Dissertações de Mestrado - Saúde Coletiva

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
DISSERTAÇÃO Gabriela Bardelini Tavares Melo.pdf2.84 MBAdobe PDFView/Open


This item is protected by original copyright



This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons