Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/12904
Título: Inadequação do pré-natal entre as gestantes vítimas de violência física pelo parceiro íntimo no Recife
Autor(es): CARNEIRO, Jackelyne Faierstein
Palavras-chave: Cuidado pré-natal; Violência contra a mulher; Gestantes; Fatores de risco; Prevalência; Estudos transversais
Data do documento: 20-Jun-2012
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: CARNEIRO, Jackelyne Faierstein. Inadequação do pré-natal entre as gestantes vítimas de violência física pelo parceiro íntimo no Recife. Recife, 2012. 74 f. Dissertação (mestrado) - UFPE, Centro de Ciências da Saúde, Programa de Pós-graduação em Saúde Coletiva, 2012
Resumo: A violência na gravidez constitui um grave problema de saúde pública que entre outras consequências, pode levar ao uso inadequado do pré-natal contribuindo assim para o aumento dos índices de morbimortalidade materno-infantil. Estudo de corte transversal, realizado entre Julho de 2005 a Dezembro de 2006, teve por objetivo medir a frequência, descrever o padrão de uso do pré-natal e investigar a associação entre violência física antes e/ou durante a gestação pelo parceiro íntimo e a realização de pré-natal inadequado. Foram estudadas 1026 mulheres, entre 18 e 49 anos de idade, cadastradas no Programa de Saúde da Família do Distrito Sanitário II do Recife. Foram realizadas entrevista face a face, para aplicação de questionário padronizado por entrevistadoras treinadas. A prevalência do pré-natal inadequado foi de 44,1% e da violência física foi de 25,6%. Na análise de regressão logística múltipla, no modelo final, a violência física pelo parceiro apresentou-se associada ao pré-natal inadequado (OR=1,37; IC95%:1,01-1,85) mesmo após ajuste pelas características socioeconômicas e demográficas da mulher, comportamentos de risco na gravidez, características da história reprodutiva e da gravidez atual. Outros fatores foram identificados como associados ao pré-natal inadequado: maior paridade (OR=2,18; IC95%:1,45-3,27); uso de álcool na gravidez (OR= 1,91; IC 95%:1,36-2,70), menor escolaridade (OR=1,65; IC95%:1,24-2,20) e gravidez nãopretendida (OR=1,74; IC 95%:1,32-2,30). Mulheres que são vítimas de violência física pelo parceiro íntimo têm maior chance de realizarem um pré-natal inadequado, seja pelo início tardio, pela realização de menor número de consultas ou mesmo pelas duas condições juntas.
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/12904
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Saúde Coletiva

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
dissert. final versão bibliot Jackelyne.pdf529,33 kBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons