Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/12823
Título: O homem “novo” para um novo Pernambuco: as práticas educacionais na construção do estado novo em pernambuco (1937-1945)
Autor(es): Ramos, Aline Cristina Pereira de Araújo
Palavras-chave: História da Educação; Educação para o Trabalho; Ruralismo Pedagógico; Educação feminina
Data do documento: 28-Ago-2014
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Resumo: Analisamos do ponto de vista historiográfico e documental, as estratégias educacionais outorgadas no governo do Interventor Federal Agamenon Magalhães, no Estado de Pernambuco de 1937 a 1945. Partimos do pressuposto de que aquele governo elegeu três grupos sociais como forjadores da nacionalidade do Novo Estado propagado: o operário, o sertanejo e a mulher. Objetivamos mapear os instrumentos e estratégias educativas utilizadas na Interventoria de Agamenon Magalhães para a formação do “novo” homem e investigar a utilização de tais estratégias, pari pasu ao que acontecia neste sentido dentro do contexto nacional. Tratou-se de uma pesquisa relacionada à História Política da Educação, a qual se fundamentou num diálogo com a historiografia do Estado Novo e a História da Educação sobre o tema. A base documental foi composta pelos seguintes registros governamentais:: Relatórios dos Governadores de Pernambuco, Programas de Ensino - século XIX e XX -, Revista da Educação; o relatório pertencente ao Fundo de Interventoria, “O desenvolvimento educacional de Pernambuco sob a Administração do Interventor Agamenon Magalhães”, pertencentes ao acervo de Arquivos Permanentes - Documentos Impressos e Arquivos Permanentes – Documentos Escritos - do Arquivo Público Estadual Jordão Emerenciano (APEJE). Os registros dos documentos citados acima foram obtidos através da fotodigitalização da documentação selecionada foi feita a transcrição, de forma simples e completa. Estas fontes foram cruzadas com dados sobre a política educacional, no período, em Pernambuco localizados no Diário Oficial do Estado, de 1937 a 1945. Por fim, concluímos que foram utilizadas diferentes estratégias para forjar nesses sujeitos os elementos entendido pela interventoria como basilares para a formação almejada, segundo os princípios de modernização e higienização em voga no período. Contudo, tais premissas não foram exclusividades do governo de Agamenon Magalhães, fez parte de um debate nacional e esse momento foi, que pela primeira vez no país, o governo tomou para si a responsabilidade de sistematizar as práticas educativas primárias em todo território nacional.
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/12823
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Educação

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
DISSERTAÇÃO Aline Cristina Pereira de Araújo Ramos.pdfDissertação de Mestrado1,17 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons