Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/12605
Título: Analisando a Transformação entre Gráficos e Tabelas por Alunos do 3º e 5º Ano do Ensino Fundamental
Autor(es): Silva, Dayse Bivar da
Palavras-chave: Tabelas; Gráficos; Representação; Transformação
Data do documento: 31-Jan-2012
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: SILVA, Dayse Bivar da; SELVA, Ana Coêlho Vieira. Analisando a transformação entre gráficos e tabelas por alunos do 3º e 5º ano do ensino fundamental. Recife, 2012. 125f. Dissertação (mestrado) - UFPE, Centro de Educação , Programa de Pós-Graduação em Educação Matemática e Tecnológica. Recife, 2012..
Resumo: Considerando a importância no uso de diversas representações para a aprendizagem dos conceitos este estudo tem por objetivo investigar como os estudantes do 3º e 5º ano do Ensino Fundamental realizam a transformação entre diferentes representações: do gráfico para a tabela, da tabela para o gráfico, da língua natural para o gráfico e da língua natural para a tabela. Participaram da pesquisa 32 estudantes de escolas públicas da rede municipal, sendo 16 deles do 3º ano do Ensino Fundamental e 16 do 5º ano. Cada estudante respondeu oito atividades sendo quatro de construção de tabela simples e quatro de construção de gráfico de barras. As atividades de construção de tabela foram duas partindo da língua natural e duas partindo de um gráfico de barras; e as atividades de construção de gráfico foram duas partindo de tabela e duas tendo como ponto de partida a língua natural. Os resultados não mostraram diferenças significativas no desempenho dos estudantes nas atividades que visam à transformação entre tabelas e gráficos e vice-versa e, ainda, da língua natural para tabela e da língua natural para o gráfico em função da escolaridade. As atividades de construção de gráficos obtiveram melhor desempenho quando comparadas com as atividades que envolviam a construção de uma tabela simples, apesar de tal diferença mostrar-se discreta. Ao mesmo tempo, tanto a atividade de construção de gráfico como de tabelas apresentaram desempenho mais baixo quando a mesma foi iniciada a partir da língua natural. Constatamos, ainda, que a compreensão das informações veiculadas por tabelas, bem como a importância de atividades que coloquem o estudante para refletir sobre representações gráficas, discutindo conceitos matemáticos e estatísticos envolvidos precisam ser estimuladas em sala de aula. Nessa perspectiva, é necessário que o trabalho com as representações gráficas seja repensado nos anos iniciais do Ensino Fundamental, proporcionando aos estudantes situações que os levem a pesquisarem informações, sistematizarem as mesmas e representarem de diversas formas, possibilitando que analisem as especificidades de cada representação e sua adequação para veicular a informação desejada.
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/12605
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Educação Matemática e Tecnológicas

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Dayse Bivar da Silva Dissertação Final.pdf2,63 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons