Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/11753
Título: Aspectos Biológicos de Tityus pusillus POCOCK, 1893 e Ananteris mauryi LOURENÇO, 1982 (SCORPIONES: BUTHIDAE) em remanescentes de floresta atlântica no nordeste do Brasil
Autor(es): Felipe de Araujo Lira, André
Palavras-chave: Ecologia de populações; Escorpiões neotropicais; Fragmentação de habitat; Espécies coexistentes
Data do documento: 29-Jul-2014
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Resumo: Redução e fragmentação de habitats naturais, e as modificações do ambiente são as principais ameaças da perda de biodiversidade levando a uma necessidade crítica de entender como a degradação do habitat afeta as comunidades animais. No presente trabalho foi investigada a influência relativa dos atributos ambientais (profundidade e peso seco da serapilheira, densidade de árvores, diâmetro a altura do peito do tronco, abertura do dossel e área do fragmento) sobre a estrutura populacional das espécies de escorpião Tityus pusillus Pocock, 1893 e Ananteris mauryi Lourenço, 1982 que cohabitam a serapilheira. As coletas foram realizadas em 11 fragmentos de Floresta Atlântica, pertencentes à Usina Trapiche, Mata Sul de Pernambuco. Em cada fragmento seis transectos de 30 m foram amostrados através de busca ativa noturna utilizando-se UV, nos meses de dezembro/2012 e janeiro/2013. No total 1.125 escorpiões pertencentes às espécies estudadas foram coletados durante o período analisado. A maioria (90%) pertencia a espécie T. pusillus, cuja variação de abundância nos diferentes fragmentos (2 a 177 indivíduos) mostrou-se positivamente correlacionada ao peso do seco da serapilheira. Não houve efeito significativo das demais variáveis sobre os parâmetros analisados para as espécies T. pusillus e A. mauryi. Em relação à estrutura populacional, uma proporção maior de machos em relação às fêmeas (1,5:1) foi registrada para A. mauryi, assim como observou-se a ausência de jovens dessa espécie no ambiente durante o período analisado. Esses resultados indicam que T. pusillus é a espécie de escorpião predominante na Floresta Atlântica e que apesar de viver no mesmo microhabitat, T. pusillus e A. mauryi podem ter diferentes exigências ecológicas. A maior quantidade de machos permite inferir uma possível diferenciação do período reprodutivo dessas espécies, podendo ser uma estratégia para evitar competição interespecífica.
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/11753
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Biologia Animal

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
DISSERTAÇÃO André Felipe Lira.pdf831,23 kBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons