Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/11474
Título: Aves de arribação : o processo de “importação” de jogadores na cidade do Recife : conquistando glórias a preço de ouro (1915-1920)
Autor(es): Lima, Rodrigo Carrapatoso de
Palavras-chave: História do futebol; Profissionalismo; Amadorismo
Data do documento: 23-Ago-2013
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Resumo: Esta dissertação tem por objetivo analisar o processo histórico que teve no par conceitual amadorismo e profissionalismo sua configuração principal. O período estudado inicia-se em 1915 com a criação da Liga Sportiva Pernambucana (LSP) e finda no ano de 1920, no momento em que acontece grande embate em torno do possível profissionalismo que acontecia no seio da agora Liga Pernambucana de Desportos Terrestres (LPDT). Na concepção de uma imaginada civilidade, a assimilação do hábito e costume europeu de praticar o futebol por parte da elite foi essencial. No entendimento do ideal amador os jogadores de futebol eram símbolos de desenvolvimento moral e físico. Visto como entretenimento da ociosidade, a prática do futebol não era compatível com o lucro. O amadorismo, tido com o ato de não receber qualquer tipo de provento para exercer a atividade futebolística, era tratada com uma premissa fundamental a ser seguida. E foi já no seu segundo ano de existência que a Liga se viu diante de uma transformação: a chegada de jogadores para reforçar uma equipe. A “importação” de jogadores de Estados como Rio de Janeiro e São Paulo era vista como a implantação do profissionalismo na Liga, pois havia a suspeita de que esses tinham suas despesas pagas pelos grandes coronéis que estavam a frente dos clubes aos quais jogavam. Estava desencadeada uma tensão no meio esportivo pernambucano em geral irrompendo uma campanha anti-profissionalista por parte de alguns membros da Liga. Na tensa discussão frente à legalidade desse advento de jogadores “importados”, ficou claro o temor de que o profissionalismo pudesse corromper os valores educativos e morais que foram implantados pelos ideais amadores. Essa argumentação frente à funcionalidade do futebol deu indícios de que se tratava de uma tentativa de barrar a sua popularização. Dessa forma a “importação” deveria ser estagnada e as “aves de arribações”, como eram chamados os jogadores que mudavam de equipes, eliminadas do meio desportivo pernambucano. A pesquisa e a reflexão aqui exposta nesta dissertação que ora se apresenta se constitui num esforço de desenvolver estudo num objeto de investigação ainda pouco trabalhado em Pernambuco.
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/11474
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - História

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Dissertacao Rodrigo Carrapatoso de Lima.pdf8,21 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons