Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/1094
Title: Variação espacial e temporal da macrofauna bentônica no estuário do Pina, Recife PE
Authors: dos Prazeres Rodrigues de Lima, Maria
Keywords: Estuário; Bacia do Pina; Macrofauna bêntica
Issue Date: 2006
Publisher: Universidade Federal de Pernambuco
Citation: dos Prazeres Rodrigues de Lima, Maria; Roberto Botelho de Souza, José. Variação espacial e temporal da macrofauna bentônica no estuário do Pina, Recife PE. 2006. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Biologia Animal, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2006.
Abstract: A Bacia do Pina é um ambiente altamente hidrodinâmico, eutrofizado, localizado na parte interna do Porto de Recife. O presente trabalho teve como objetivo caracterizar as variações espaciais e temporais da comunidade macrobêntica, no estuário do Pina, Recife-PE. A composição e distribuição da macrofauna bentônica foi estudada de acordo com suas relações com os fatores ambientais, em dois períodos, seco (Janeiro) e chuvoso (Julho) de 2004. As coletas foram realizadas durante a baixa-mar. Foram amostradas sete estações ao longo do estuário, desde a boca até a região interna do estuário. Em cada estação, foram determinados dois pontos, um situado no infralitoral e outro no mediolitoral, com exceção das estações 4 e 6 com um no infra e dois no mediolitoral, devido a maior heterogeneidade ambiental dessas estações. Para cada ponto foram coletadas quatro réplicas, utilizando uma draga Petersen, (0,01 m2 de boca) e um tubo PVC (área 0,008 m2). Salinidade, granulometria, temperatura, transparência, oxigênio dissolvido na água, microfitobentos e matéria orgânica do sedimento foram também analisados. Foram formadas 5 associações distintas ao longo do estuário que separaram o ambiente em regiões euhalinas, mesohalinas e oligohalinas. As variações espaciais e temporais da macrofauna quanto à diversidade, riqueza, densidade, associações formadas, distribuição dos grupos tróficos e biomassa foram estruturadas principalmente pela hidrodinâmica do estuário. Fatores abióticos como profundidade, oxigênio dissolvido, tamanho médio dos grãos e percentual de matéria orgânica apresentaram foram os fatores responsáveis pela estruturação das associações. Polychaeta foi o grupo mais abundante em todas as estações, estratos e períodos estudados. Os detritívoros Streblospio benedicti, Boccardia sp, Capitella capitata e Tubifex sp dominaram em todas as estações. A grande heterogeneidade interna, refletida nas grandes variações espaciais quanto aos parâmetros analisados em cada estação, resultaram das condições hidrodinâmicas que estruturam esse ambiente
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/1094
Appears in Collections:Dissertações de Mestrado - Biologia Animal

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
arquivo9399_1.pdf2.46 MBAdobe PDFView/Open


This item is protected by original copyright



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.