Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/10702
Título: Diabetes no idoso: práticas educativas e fatores associados à adesão terapêutica
Autor(es): BORBA, Anna Karla de Oliveira Tito
Palavras-chave: Envelhecimento da População; Diabetes Mellitus; Adesão do Paciente; Atenção Primária de Saúde; Enfermagem em Saúde Pública; Educação em Saúde
Data do documento: 16-Jan-2012
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: BORBA, Anna Karla de Oliveira Tito. Diabetes no idoso: práticas educativas e fatores associados à adesão terapêutica . Recife, 2012. 110 f. : Dissertação (mestrado) - UFPE, Centro de Ciências da Saúde , Programa de Pós-graduação em Enfermagem, 2012.
Resumo: O envelhecimento populacional vem ocorrendo de forma rápida, principalmente em países em desenvolvimento, acarretando maior prevalência de doenças crônicas não-transmissíveis. Entre elas, destaca-se o diabetes mellitus pela sua alta taxa de morbimortalidade, principalmente entre os mais velhos. A adesão ao tratamento para o controle da doença é um dos grandes entraves no combate às complicações do diabetes, visto o seu caráter multifatorial o que dificulta a adoção efetiva de estratégias educativas. O artigo de revisão teve como objetivo identificar na literatura científica as práticas educativas desenvolvidas para os diabéticos no Brasil. As bases de dados pesquisadas foram LILACS, MEDLINE, IBECS e BDENF, resultando em 8 artigos após seleção conforme critérios de elegibilidade adotados. As práticas educativas encontradas são voltadas principalmente para adultos e idosos de até 70 anos com temáticas relacionadas ao viver com diabetes difundidas através de grupos. O artigo original teve como objetivo investigar os fatores associados à adesão terapêutica em idosos diabéticos. O estudo de corte transversal quantitativo foi realizado em serviço gerontogeriátrico, de natureza ambulatorial, na cidade do Recife (PE), com a participação de 150 idosos diabéticos cadastrados no período de janeiro de 2006 a dezembro de 2010. Na análise de dados foram utilizados Teste Qui-quadrado de Pearson ou Teste Exato de Fisher e Análise Multivariada por Regressão Logística Multinomial. A adesão integral a terapêutica foi de 27,3%, com a predominância do seguimento da medicação para o controle da doença em detrimento do cuidado da saúde como um todo. A casuística estudada foi composta, em sua maioria, por idosos do sexo feminino (73,3%), com 60 a 69 anos (54,7%), mais de 9 anos de estudos (41,3%), aposentados (62,7%), com baixo rendimento mensal (52,7%) e contribuíam totalmente com o sustento da casa (66,0%). Na análise bivariada a adesão terapêutica esteve associada à autopercepção da saúde (p<0,038), crenças no uso dos remédios para controlar o diabetes (p<0,001), entendimento das explicações sobre o diabetes (p<0,005) e profissional responsável pelas orientações sobre o tratamento (p<0,028). Após análise ajustada, apenas as crenças no medicamento para o controle do diabetes foi significativa ao comparar a não adesão com adesão integral (OR=9,65; IC95% 1,6;56,6) e não adesão com adesão parcial (OR=18,15; IC95% 3,5;95,4). Conclui-se que há a necessidade de estudos adicionais que melhor investiguem as crenças e a adesão terapêutica na população idosa com diabetes, bem como o desenvolvimento de práticas educativas com metodologias ativas que considerem as crenças em saúde e possibilitem a promoção da autonomia nas atividades de autocuidado.
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/10702
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Enfermagem

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
PPGENF - Dissertação Versão final - Anna Karla.pdf1,83 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons