O dever de motivar os atos administrativos como princípio implícito na Constituição Federal

Idiomas

Busca avançada

Mostrar registro simples

dc.contributor.advisor Cavalcanti, Francisco de Queiroz Bezerra
dc.contributor.author Cavalcanti, Eugênia Giovanna Simões Inácio pt_BR
dc.date.accessioned 2014-06-12T17:19:59Z
dc.date.available 2014-06-12T17:19:59Z
dc.date.issued 2004 pt_BR
dc.identifier.citation Giovanna Simões Inácio Cavalcanti, Eugênia; de Queiroz Bezerra Cavalcanti, Francisco. O dever de motivar os atos administrativos como princípio implícito na Constituição Federal. 2004. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Direito, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2004. pt_BR
dc.identifier.uri http://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/4109
dc.description.abstract A presente dissertação tem por escopo estudar a motivação do ato administrativo enquanto princípio implícito na Constituição Federal de 1988. Motivo e motivação dos atos administrativos não se confundem. A motivação pode ser material ou formal. Interessa-nos a motivação formal que deve ser clara, suficiente e congruente. Como a motivação é obrigatória para todos os atos administrativos, a sua ausência ou inadequação poderá causar a nulidade do ato administrativo. Ao motivar um ato administrativo a Administração elabora um discurso jurídico considerado racional quando razoável, na perspectiva de Aarnio, com a influência dos ensinamentos de Habermas e Alexy. Contemporaneamente, a Constituição tem sido uma das principais fontes do Direito Administrativo ao expressar princípios e valores que norteiam a atividade administrativa em conseqüência do processo de constitucionalização da Administração Pública. O dever de motivar, encontra-se implícito na Carta Magna e decorre do princípio do Estado Democrático de Direito insculpido no art. 1º da Constituição Federal. Com a motivação é possível verificar se os demais princípios que regem a Administração Pública estão sendo observados. A obediência ao princípio da motivação no processo administrativo concretiza a cláusula do devido processo legal ao viabilizar a ampla defesa e o contraditório. Como a motivação é um princípio constitucional, o rol constante na Lei Federal nº 9.784/99 é meramente exemplificativo. A motivação também desempenha importante papel no controle dos atos administrativos ao possibilitar que o órgão controlador tenha acesso aos motivos de fato e de direito que levaram à edição do ato administrativo, para então verificar a sua adequação ao ordenamento jurídico pt_BR
dc.language.iso pt_BR pt_BR
dc.publisher Universidade Federal de Pernambuco pt_BR
dc.subject Motivação pt_BR
dc.subject Ato administrativo pt_BR
dc.subject Discurso jurídico pt_BR
dc.subject Princípio constitucional implícito pt_BR
dc.subject Processo administrativo pt_BR
dc.subject Controle pt_BR
dc.title O dever de motivar os atos administrativos como princípio implícito na Constituição Federal pt_BR
dc.type Dissertacao pt_BR


Arquivos deste item

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Mostrar registro simples


Compartilhe esta página