Transposição do Rio São Francisco e fragmentação do bioma caatinga

Idiomas

Busca avançada

Mostrar registro simples

dc.contributor.advisor Mota Filho, Fernando de Oliveira
dc.contributor.advisor Nóbrega, Ranyére Silva
dc.contributor.author Silva, Sueny Carla da
dc.date.accessioned 2015-03-13T13:23:59Z
dc.date.available 2015-03-13T13:23:59Z
dc.date.issued 2014-02-24
dc.identifier.uri http://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/12440
dc.description.abstract A transposição é uma obra de caráter emergencial usada em muitos países para abastecer regiões que se encontram com o acesso restrito à água. No Brasil, o projeto está sendo implementando no semiárido nordestino, considerado como uma das maiores obras hidráulicas realizadas pelo Ministério da Integração. Denominado Projeto de Integração do rio São Francisco às Bacias Hidrográficas do Nordeste Setentrional (PIFS), popularmente conhecido como Transposição do rio São Francisco, o empreendimento tem como objetivo abastecimento de água para as comunidades difusas, dessedentação de animais, irrigação, indústria. Os estados beneficiados são Pernambuco, Paraíba, Ceará e Rio Grande do Norte. Parte da obra está localizada na área de incidência do bioma caatinga, de extrema importância biológica e social. O histórico de movimento de luta e resistência para a preservação, o conhecimento e a recuperação desse bioma é enorme, mas, essa área se encontra em um gigantesco canteiro de obras. Em Pernambuco, inicia-se a embocadura do canal dividido em dois eixos, norte e leste, através de quilômetros de canais que estão sendo construídos caatinga adentro, fragmentando o habitat natural. A fragmentação antrópica é considerada como uma das principais perdas relacionadas à biodiversidade. Assim, o trabalho procurou analisar a transposição do rio São Francisco como fator de fragmentação do bioma Caatinga no município de Cabrobó - PE. Essa região se encontra bastante suscetível aos processos de degradação da terra, que, em situações extremas, fazem surgir à desertificação, haja vista a insustentabilidade no manejo do solo e da água que vem acontecendo há décadas na região. Para compreender a relação da transposição e da fragmentação, este trabalho procurou reconhecer as mudanças de uso e cobertura do solo gerado pela construção do canal da transposição do rio São Francisco; avaliar os efeitos do canal como elemento fragmentador da caatinga; e identificar os efeitos acarretados pela obra da transposição no processo de degradação do ambiente. Na busca de materiais e informações sobre o trabalho foram realizadas as seguintes etapas, levantamento bibliográfico, cartográfico e de campo, com o intuito de fornecer subsídios para a formação de futuras pesquisas e programas de cunho educacional. Por fim, apresenta-se como uma contribuição científica que possivelmente pode ser levada aos gestores públicos e ambientais nas discussões das tomadas de decisões. pt_BR
dc.description.sponsorship Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior pt_BR
dc.language.iso br pt_BR
dc.publisher Universidade Federal de Pernambuco pt_BR
dc.rights Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Brazil *
dc.rights.uri http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/3.0/br/ *
dc.subject Transposição hidrográfica pt_BR
dc.subject Fragmentação de paisagem pt_BR
dc.subject Caatinga pt_BR
dc.subject Impacto ambiental pt_BR
dc.subject Cabrobó pt_BR
dc.title Transposição do Rio São Francisco e fragmentação do bioma caatinga pt_BR
dc.type Dissertacao pt_BR
dc.contributor.advisor-co Nóbrega, Ranyére Silva


Arquivos deste item

Os arquivos de licença a seguir estão associados a este item:

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Mostrar registro simples

Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Brazil Exceto quando indicado o contrário, a licença deste item é descrito como Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Brazil

Compartilhe esta página